Cristãos Choram De Alegria Celebrando Natal Em Mossul

Fonte/Source: Christians cry with joy as they celebrate first Christmas in Mosul since ISIS were driven out of shattered Iraqi city 


Cristãos Choram De Alegria Enquanto Celebram O Primeiro Natal Em Mosul, Desde Que O ISIS Foi Expulso Da Destruída Cidade Iraquiana.

  • A missa unindo Muçulmanos e Cristãos abriu com o hino nacional Iraquiano e prantos de alegria e lamento.
  • Hossam Abud, 48, exilado no Curdistão Iraquiano, disse: “Este é um sinal de que a vida está voltando à Mossul”.
  • Outro membro da congregação disse que a Missa foi uma mensagem ao Estado Islâmico (ISIS) de que Mossul está unida.

Por Charlotte Dean para o Mailonline

24 de Dezembro de 2017


Cristãos celebraram o Natal na segunda cidade de Mossul no Iraque pela primeira vez em quatro anos, — e hinos e gritos de alegria inundaram a igreja.

O evento sazonal marcou o fim do governo jihadista na cidade e a Missa abriu com o hino nacional Iraquiano enquanto mulheres choravam com muita emoção.

Apesar do modesto interior da igreja e da polícia blindada do lado de fora, Hossam Abud, 48, que retornou este mês do exílio no Curdistão Iraquiano, disse: “Este é um sinal de que a vida está voltando à Mossul”.

Em 2014, quando o Estado Islâmico (ISIS) capturou a cidade pedindo que as pessoas se convertessem, pagassem impostos, deixassem a cidade ou morreriam, o Sr. Abud e milhares de outros Cristãos fugiram de Mossul.

Hinos e gritos de alegria inundaram a Igreja de São Paulo no leste de Mossul hoje, com Muçulmanos e Cristãos unidos na missa.
Essa foi a primeira Missa desde que o Estado Islâmico (ISIS) capturou a cidade e as áreas vizinhas há quatro anos
The seasonal event marked the end of jihadist rule in the city and the Mass opened with the Iraqi national anthem as women wailed with emotion
O evento sazonal marcou o fim do governo jihadista na cidade e a Missa abriu com o hino nacional Iraquiano enquanto as mulheres se lamentavam com muita emoção

O patriarca Louis Raphael Sako, da Igreja Católica Caldéia do Iraque, convocou a congregação para rezar pela ‘paz e estabilidade em Mossul, no Iraque e no mundo’.

“Com esta missa, estamos enviando uma mensagem de paz e amor, porque Cristo é o mensageiro da paz.”

A igreja de São Paulo, no leste de Mossul, viu Muçulmanos ficarem juntos hoje com os Cristãos e autoridades locais cercados por velas e árvores de Natal.

The windows that were once blasted empty during the conflict were covered by white sheets today shielding the church while those inside prayed for peace 
As janelas que uma vez foram estilhaçadas durante o conflito, foram cobertas hoje com folhas brancas protegendo a igreja, enquanto oravam pela paz.
Hossam Abud, 48, que retornou este mês do exílio no Curdistão Iraquiano, disse: “Este é um sinal de que a vida está voltando à Mossul”.
Em 2014, quando o Estado Islâmico (ISIS) se apoderou da cidade pedindo que as pessoas se convertessem, pagassem impostos, deixassem a cidadae ou então morreriam, o Sr. Abud e milhares de outros Cristãos fugiram de Mossul.

Como lembrete da triste história recente da cidade, o retrato de um Cristão morto pelo o Estado Islâmico (ISIS) foi exibido na frente da igreja.

As forças Iraquianas expulsaram o grupo jihadista de Mossul em Julho após meses de combates brutais.

Grande parte da Síria e quase um terço do Iraque estavam sob o controle da Estado Islâmico (SISI), mas agora foram dizimados numa série de derrotas.

The church was surrounded by armed police and a portrait of a Christian killed by IS was displayed outside in remembrance

Clique no link para assistir ao vídeo inserido no artigo original: Scenes from Mosul show a city that has endured ISIS horrors

Iraqi forces expelled the jihadist group from Mosul in July after months of ferocious fighting and a string of defeats
As forças Iraquianas expulsaram o grupo jihadista de Mossul em Julho após meses de combates brutais.
Grande parte da Síria e quase um terço do Iraque estavam sob o controle da Estado Islâmico (SISI), mas agora forma dizimados  numa série de derrotas.
Farqad Malko, uma mulher Cristã da congregação disse que a missa era uma mensagem ao ISIS. Disse que todo a Mossul está em pé, unida como irmãos, Muçulmanos e Cristãos.
Ela disse: “Com esta celebração, dizemos que os moradores de Mossul são todos irmãos, independentemente da sua religião ou etnia, e apesar de todos os danos e sofrimentos.”

O serviço religioso de Domingo na igreja, no leste de Mossul, foi “uma alegria imensa”, disse ela, sorrindo amplamente à medida que hinos sazonais eram entoados ao fundo.

São Paulo é atualmente a única igreja em funcionamento em Mossul, e só está aberta graças aos esforços de limpeza de jovens voluntários.

O Sr. Abud acrescentou: “Devemos reconstruir igrejas nas cidades que foram destruídas para incentivar o retorno dos Cristãos.”

São Paulo é atualmente a única igreja em funcionamento em Mossul, e só está aberta graças aos esforços de limpeza de jovens voluntários.
Mina Ramez, 20 anos, que voltou com sua família há dois meses, a tempo de começar o novo ano universitário disse: “Esta é a nossa terra, estes são os nossos lares, e faremos tudo o que pudermos com nossos irmãos de todas as religiões para reconstruí-lo.”

Mais um vídeo inserido no artigo original. Infelizmente não consegui abrir esses vídeos aqui: Mosul War on ISIS

A invasão liderada pelos EUA no Iraque em 2003, conseguiu em 2014 fazer com que mais de 90% da população Cristã de Mossul fugisse, deixando apenas 2.000 famílias que foram capturadas pelo Estado Islâmico (ISIS), de acordo com funcionários e ativistas.

Sako exortou aos Cristãos removidos do Iraque e aqueles que buscaram refúgio no exterior para retornar e “desempenhar um papel ativo na reconstrução (da cidade).”

Entre 70 e 80 famílias Cristãs retornaram até agora “e outras mais em breve estarão a caminho”, de acordo com Dourid Tobia, um conselheiro para assuntos Cristãos do governador provincial.

Mina Ramez, 20 anos, voltou com sua família há dois meses, a tempo de começar o novo ano universitário.

Ela disse: “Esta é a nossa terra, estas são as nossas casas, e faremos tudo o que pudermos com nossos irmãos de todas as religiões para reconstruí-la”.

“Nunca abandonaremos a nossa terra natal”.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios

Deixe um Comentário...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s