JUIZ PEDE PRISÃO DE CRISTINA KIRCHNER

Fonte/Source: New moderate Iran’s foreign policy top dog “approved” 1994 jihad bombing of Jewish center in Argentina


Por Tião Cazeiro

Em 2 de Junho de 2014 traduzi e publiquei este artigo do Robert Spencer, diretor da Jihad Watch, sobre o ataque terrorista à Amia (Associação Mutual Israelita Argentina), um artigo muito informativo, veja:  MINISTRO IRANIANO APROVOU ATAQUE MONSTRUOSO A UM CENTRO JUDAICO NA ARGENTINA EM 1994.

Hoje, o  Deputado Jair Bolsonaro enviou o tuiter abaixo com uma mensagem muito importante e bem-vinda.

Aproveito a oportunidade para mostrar a reação da bancada do PT na Cãmara a seguir…


A Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados manifesta preocupação com as graves ameaças ao Estado de Direito na Argentina. Causa-nos espanto o modo autoritário com que o presidente Maurício Macri e o seu grupo político lidam com a oposição política, o Ministério Público, a imprensa e os movimentos sociais e sindicais.
Faz parte desse contexto autoritário o ativismo judicial de alguns magistrados que, a exemplo do que ocorre no Brasil, utilizam sem justificativa consistente o recurso das prisões preventivas e promovem espetáculos midiáticos para interditar a ação política da oposição.
Por conta disso, os deputados e deputadas do PT solidarizam-se com a ex-presidente e agora senadora Cristina Fernández de Kirchner, claramente perseguida pelo juiz Claudio Bonadio, que nesta quinta-feira solicitou o impedimento de suas funções legislativas e a sua prisão preventiva.
O que se vê em curso na Argentina é a mesma estratégia usada pela direita em outros países da América Latina: se valem do lawfare e dos canhões midiáticos para assassinar reputações e alijar da disputa presidencial de 2019 os principais nomes da oposição e das forças de esquerda e progressistas em geral.
Essa estratégia provoca a corrosão do Estado de Direito e a violação dos princípios fundamentais da democracia e da soberania nacional, uma vez que é notória a submissão da direita neoliberal no continente aos interesses externos das grandes potências.
Brasília, 7 de dezembro de 2017

Carlos Zarattini (PT-SP), líder do partido na Câmara  dos Deputados


Eis aqui na íntegra, o artigo do Robert Spencer que traduzi para este blog…


Ministro Iraniano Aprovou Ataque Monstruoso A Um Centro Judaico Na Argentina Em 1994.

Por Robert Spencer

2 de Jundo de 2017

Ali Akbar Velayati
Ali Akbar Velayati

Novo Ministro “Moderado” e “Top Dog” da Política Externa do Irã aprovou o ataque Jihadista a um centro Judaico na Argentina em 1994. 

Como devem rir de Obama e Kerry em Teerã. “Novo Chefe da Política Externa Iraniana” Aprovou o “ataque à bomba de 1994”, de Adam Kredo para o Washington Free Beacon, 3 de Janeiro:

Um político Iraniano conhecido por sua atuação no planejamento e aprovação do atentado terrorista em 1994 a um centro Judaico na Argentina foi oficialmente nomeado para dirigir a política externa do Irã, um posto anteriormente ocupado pelo atual presidente Hassan Rouhani.

Ali Akbar Velayati, um membro de longa data do regime e que serve como conselheiro sênior de política externa do líder supremo Iraniano aiatolá Ali Khamenei foi recentemente escolhido para dirigir o “Centro de Pesquisa Estratégica (CSR) do Irã”, um “think tank” intimamente ligado ao “Conselho de Conveniência (Expediency)” do Irã , um órgão governamental poderoso que se reporta diretamente ao aiatolá Khamenei.

article-0-05679496000005DC-990_634x486

Autoridades Argentinas acusaram Velayati de planejar e aprovar o ataque terrorista à Amia (Associação Mutual Israelita Argentina)ataque este orquestrado pelo Irã, que matou 85 pessoas e continua a ser o mais mortífero ataque terrorista na Argentina.

A ascensão de Velayati ao escalão superior do Irã, controlando a máquina da política externa levou alguns observadores a criticar Rouhani por elevar radicais extremistas, apesar das promessas de agir como um “reformador moderado”.

O envolvimento de Velayati com o atentado à AMIA foi revelado através das investigações realizadas pelo Procurador-Geral Argentino Alberto Nisman em 2006, que foi proibido pelo seu governo de discutir suas descobertas com o Congresso dos EUA.

Velayati foi membro do comitê secreto Iraniano que se reuniu em 1993 para projetar o ataque ao centro Judaico AMIA em Buenos Aires, de acordo com Nisman, acusação que contou com o depoimento de um ex-oficial da inteligência Iraniana.

“No que diz respeito à comissão” e seu papel na decisão de realizar o ataque à AMIA, [o oficial de inteligência] afirmou que essa decisão foi tomada sob a direção de Ali Khamenei, e que os outros membros do comitê foram [o então presidente  Iraniano Ali Akbar Hashemi ], Rafsanjani, Mir Hejazi , Rouhani, Velayati e Fallahijan”, disse a acusação.

Um juiz Argentino emitiu um mandado de captura internacional contra Velayati em 2006 por seu papel no planejamento do ataque terrorista…


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis


Anúncios

Deixe um Comentário...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s