Os Hábitos Sexuais Perversos do Profeta – Parte 1

Fonte/Source: The Perverse Sexual Habits of the Prophet


"Isto é proveniente de seus próprios livros, 
Ó Muçulmanos!"
Um relato do Padre Zakaria Botros

Por Raymond Ibrahim

Jihad Watch

Publicado originalmente em 3 de Abril de 2009

Nota: Padre Zakaria Botros nasceu em 24 de Outubro de 1934 na cidade de Kafr el Dawar, na província de Behaira, nas proximidades de Alexandria, Egito. Nasceu de família Cristã profundamente envolvida com o trabalho Evangélico. Produtor da série "Questões Relacionadas à Fé", de enorme sucesso, com mais de 150 programas.

Padre Zakaria Botros realizou recentemente um programa dedicado à discussão da questão da moralidade e como isto é — ou deveria ser — uma das características de um profeta. Logo de início, colocou a questão principal do programa: “Era o profeta Muhammad, um moralista — o homem mais justo, digno de ser emulado pelo mundo?”

Ele abriu o programa confiando numa citação de Ibn Taymiyya, que avaliou os sinais de um profeta. Taymiyya afirmou que há muitos falsos profetas, como Musailima “o mentiroso”, um contemporâneo de Muhammad. Taymiyya concluiu que muitos desses chamados profetas estão, de fato, “possuídos”, e que a única maneira de determinar a autenticidade de qualquer profeta é examinando sua biografia (sira) e seus atos, para ver se ele é considerado digno do título.

Sendo assim, este é o primeiro de vários episódios dedicados a examinar os conceitos de moralidade e as características de um verdadeiro profeta (com a noção de que o primeiro reforça o último). O tema para este episódio em particular é a “pureza” (tahara): “Era Muhammad um homem ‘puro’?” — Neste contexto, a pergunta se refere aos costumes sexuais (ou a falta deles).

Após as preliminares, Botros olhou para a câmera e deu um aviso severo: “Este episódio é apenas para adultos! Vou discutir muitas coisas que me fazem corar de vergonha, então por favor: mulheres e crianças retirem-se da sala.”

Em seguida, pediu aos Muçulmanos que assistiam para ter em mente a seguinte pergunta: “É esse o profeta que eu sigo?”; enquanto delineava alguns dos hábitos sexuais de Muhammad.

Primeiro, e proveniente do Alcorão, Botros leu versos declarando inequivocamente que Muhammad é o paradigma de toda virtude e moral, tal como “E com toda certeza você [Muhammad] conforma (você mesmo) com a moral sublime [68:4]”. Mais adiante citou alguns ulemás (teólogos), como o Ibn Kathir, todos insistindo que Muhammad/Maomé era “O mais nobre da humanidade e o maior dos profetas.”

Botros e seu co-apresentador ex-Muçulmano — o padre havia insistido que fosse um homem para este programa específico, para que ele não ficasse muito envergonhado ao delinear os hábitos sexuais de Muhammad — discutiu o Alcorão verso 4:3, que “limita” o número de esposas de um Muçulmano para quatro, incluindo “o que sua mão direita possui (cativas)”, isto é, meninas escravas.

Isso aparentemente não era bom o suficiente para Muhammad, afirmou Botros; um versículo inteiro teve que ser “revelado” justificando mais mulheres para ele (Alcorão 33:50). De fato, o padre Botros compilou cuidadosamente uma lista de todas as mulheres — 66 são conhecidas — por terem tido relações sexuais com Muhammad.

Botros disse que era normal: de acordo com a Sira Al-Halabi, Muhammad pode possuir uma mulher não importando o que aconteça, mesmo contra a vontade dela; caso Muhammad desejasse uma mulher casada, seu marido teria que divorciar-se dela. De acordo com Ibn Sa’ad, autor de outro relato biográfico autorizado de Muhammad: “O profeta não morreu enquanto todas as mulheres foram-lhe permitidas.” (ver Kitab Al Tabaqat Al Kubra, v. 8, 194).

O co-apresentador ex-Muçulmano interveio de forma abrupta — “O que dizer sobre todos os rumores de que Muhammad exibiu tendências homossexuais?”

Botros levou as mãos ao rosto e sussurrou: “Então você ainda insiste em discutir isso?” O co-apresentador foi inflexível, dizendo que era para o bem dos Muçulmanos conhecer tudo.

Assim, Botros, após pedir profusas desculpas aos seus espectadores Muçulmanos, dizendo o quanto isso era embaraçoso para ele, declarou: “Olha! Somos aqui apenas leitores, revelando o que existe nos próprios livros do Islã! Se isso desagrada aos Muçulmanos, eles deveriam ir e queimar esses livros.”

O primeiro episódio discutido pelo sacerdote rodava em torno de um hadith que, embora alguns ulemás o considerem “fraco”, está no entanto, de acordo com Botros, presente em 44 livros Islâmicos — incluindo algumas coleções altamente respeitadas, como a Suna Bayhaqi e Al Halabi.

De acordo com esse hadith, um homem chamado Zahir, que costumava declarar que “o profeta me ama”, disse que um dia Muhammad rastejou inesperadamente atrás dele e deu-lhe um abraço de urso. Zahir, alarmado, gritou: “Me solta!” Depois de virar a cabeça e descobrir que era Muhammad; parou de lutar e passou a “empurrar as costas para o peito do profeta — orações e bênçãos sobre ele.”

Outro hadith curioso contido na Suna Bayhaqi e que leva à Suna Abu Dawud (uma das seis coleções canônicas de hadiths), tem Muhammad levantando a camisa para um homem que passou a beijar todo o seu torso, “desde o ombro até as axilas”.

Botros olhou casualmente para a câmera e disse: “Imagina se o sheik de Al Azhar [o equivalente Muçulmano mais próximo de um papa] levantasse a camisa para que os homens beijassem seu torso” (e começou a imitar os beijos: smack! smack!… para efeito.)

Co-apresentador ex-Muçulmano : “Certamente, mais algum?”

Botros: “Na verdade, existe. Não menos de 20 fontes Islâmicas — como os hadiths de Ahmad bin Hanbal — relatando que Muhammad costumava sugar as línguas de meninos e meninas…


Os Hábitos Sexuais Perversos do Profeta – Parte 2


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios

Uma consideração sobre “Os Hábitos Sexuais Perversos do Profeta – Parte 1”

  1. muito boo o artigo -continuarei a leitura dos seguintes topicos; descrever personalidade de um revolucionario – seja politico ou religioso -sempre é fundamental para se chegar ao dogma adotado. Pessoalmente penso que trocar uma ideologia por outra nao torna o novo crente LIVRE OU PURIFICADO dos erros cometidos -o ranço sempre permanece! PREFERIRIA QUE OS ISLAMICOS refizessem sua cartilha de modo mais condizente com o sec.21 e continuassem muçulmanos – Sera que estou desejando muito?.NO MEU entender e visão de mundo…um lobo nunca sera um cão.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um Comentário...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s